sexta-feira, 22 de fevereiro de 2008

O Teatro Mágico - De Ontem em Diante - Realejo


De ontem em diante serei o que sou no instante agora
Onde ontem, hoje e amanhã são a mesma coisa
Sem a idéia ilusória de que o dia, a noite e a madrugada
são coisas distintas
Separadas pelo canto de um galo velho
Eu apóstolo contigo que não sabes do evangelho
Do versículo e da profecia
Quem surgiu primeiro? o antes, o outrora, a noite ou o dia?
Minha vida inteira é meu dia inteiro
Meus dilúvios imaginários ainda faço no chuveiro!
Minha mochila de lanches?
É minha marmita requentada em banho Maria!
Minha mamadeira de leite em pó
É cerveja gelada na padaria
Meu banho no tanque?
É lavar carro com mangueira
E se antes, bem antes, um pedaço de maçã
Hoje quero a fruta inteira
E da fruta tiro a polpa... da puta tiro a roupa
Da luta não me retiro
Me atiro do alto e que me atirem no peito
Da luta não me retiro...
Todo dia de manhã é nostalgia das besteiras, das besteiras e das besteiras que fizemos ontem

O Teatro Mágico - De Ontem em Diante




O Teatro Mágico - Realejo

Será que a sorte virá num realejo?
Trazendo o pão da manhã

A faca e o queijo

Ou talvez... um beijo teu

Que me empreste a alegria... que me faça juntar

Todo resto do dia... meu café, meu jantar

Meu mundo inteiro...

que é tão fácil de enxergar... E chegar

Nenhum medo que possa enfrentar
Nem segredo que possa contar
Enquanto é tão cedo

Tão cedo


Enquanto for... um berço meu
Enquanto for... um terço meu

Serás vida... bem vinda

Serás viva... bem viva

Em mim

Será que a noite vira num vilarejo
vejo a ponte que levara o que desejo

admiro o que há de lindo e o que há de ser... você
Enquanto for... um berço meu

Enquanto for... um terço meu

Serás vida... bem vinda

Serás viva... bem viva

Em mim

"Os opostos se distraem
Os dispostos se atraem"

Nenhum comentário: